Música

Som descalço, sem pressa

foto_alternativa

De passo firme e mente sã, como propõe a música, a Banda Nazirê vai conquistando os espaços com o potencial feminino e desbravador do reggae

Foto: Locus Eventos

Jordania, Ranny e Géssica se dizem irmãs de estrada

As vozes das três caririenses reforçam que é preciso estar atento e forte. Ainda que não seja de carne, Jordania, Ranny e Géssica se dizem irmãs de estrada. Daquelas que os caminhos se cruzam sem saber nem para onde e nem o para quê. Os traços do rosto, os cabelos cacheados e o timbre da voz de cada uma abrem os olhos e os caminhos para vista ao mar. Lado a lado, dia a dia, elas seguem juntas e mostram que assim, caminham melhor.

Em tempos de pressa e ânsia, o novo EP da Banda Nazirê é como um mantra para o cotidiano. Reunido em três músicas, a proposta era uma promessa antiga do grupo e abraça um lado  íntimo, permitindo uma apreciação mais demorada do som. Um som descalço para a vida e de peito firme para o céu. Lançado no Youtube em abril, o projeto traz o enlace das vozes ambientadas com dois violões e com as palmas de um pequeno público. A identidade vocal das meninas se reinventa e se sobressai. “A receptividade do público foi das melhores. Isso significa que estamos no caminho certo. Sempre aprendendo e consertando as falhas, mas nunca se intimidando”, diz Jordania.

O formato é apenas uma pequena degustação, uma resposta rápida ao pedido dos fãs, para a questão da grande meta do grupo, o lançamento do seu primeiro disco. O nome do trabalho é o retrato do sucesso das meninas, A Vitória Vai Chegar, podemos de dizer que já chegou, mas como cantam em Propagar o Amor, “sempre podemos melhorar”. Passo firme e sempre em frente, o disco está sendo feito em parceria com o produtor musical e cantor Dudé Casado.

À esquerda de quem vem, ou à direita de quem vai, Nazirê sem temer vai, rompendo os laços regionais e dando nós mundiais. O projeto do disco está na plataforma de crowdfunding, financiamento coletivo, Kickante que possui o maior recorde de arrecadação da America Latina. Crescendo como uma árvore, o grupo cultiva as sementes do grande sucesso do single Acorda pra Vida, que chegou a 10 milhões de visualizações no Facebook,

O grupo se apresentou no mês de maio no Maloca Dragão e também está concorrendo na primeira fase do Prêmio Multishow 2016. Nazirê representa o Cariri de longe e a nova geração de artistas na cena do autoral regional. Na página oficial da banda, os fãs comentam as fotos das meninas pedindo para elas irem para outros estados, como por exemplo, Goiás, São Paulo e Rio de Janeiro.

A confiança em Jah se mantém como um bom barco no mar. O celebrar pela vida é pão de cada dia. Nazirê costura nos ouvidos um reggae um potencial próprio, indo além da delicadeza dos backing vocais. A música jamaicana historicamente teve uma predominância de vocais masculinos, aos poucos, saindo de lado e indo para frente do palco, as mulheres ocuparam o microfone. Hoje, o grupo apresenta dois tipos de show, o completo e o acústico.

“É uma espécie de oração, daquelas que você busca inspiração pra vencer”, completa a cantora sobre o primeiro CD. As três músicas do EP, Propagar o Amor, Além da Dor e Quero Celebrar desbravam a música e vagam entre a dor e a delícia da vida. As canções deveriam ser usadas como despertador matinal, acompanhando o café e a vontade de ser alguém um dia. Todas elas juntas, num só ser.

Por Ribamar Junior

Deixe um comentário

Powered by keepvid themefull earn money